As dores e delicias de “designear”! – O Cliente!

Bom dia, Criaturinhas!

Essa semana me deparei com um dilema sobre clientes. Acredito que todo profissional, seja designer ou não, encontra certa dificuldade em lidar com clientes. Principalmente quando estamos em começo de carreira.

Insegurança, nervosismo e, até mesmo, excesso de autoconfiança, são coisas que podem estremecer sua relação com o cliente. Fora a nossa terrível imaginação que faz com que caricaturemos o ser.

Pensando em tirar o estigma que a palavra “cliente” carrega e jogar a realidade nas mãos de vocês, preparei alguns tópicos que vale a pena você ter em mente antes de uma reunião ou de um contato profissional.

O cliente não é seu inimigo

Alguns designers dizem por ai que é necessário encarar o cliente como um rival para que consigamos atender as expectativas do mesmo. Não gosto dessa técnica. Criar uma boa relação e uma empatia entre você e o seu cliente é algo imprescindível! Se você vai para uma reunião com a mente de que o cara é um monstro, que é chato e que tudo o que ele pedir vai gerar mil e uma alterações e trabalho, esqueça! O clima ficará ruim, vocês terão problemas de comunicação, fora que, se você encarar todos os desafios como uma amolação, fica difícil estabelecer uma relação de confiança com seu cliente.

Tira a armadura, deixa a bazuca em casa e vá com o coração aberto. Além da carteira, o cliente possui contatos! E isso, meus queridos, muitas vezes você conquista mesmo sem conseguir o job.

Simpatia e carisma não faz mal a ninguém!

Descontos e Parcelamentos:  E agora?

Imagine a seguinte situação:

Você vai para a reunião com um possível cliente. Conversa vai, conversa vem, o projeto do cara é sensacional, vai render uma grana bacana, o cliente é simpático e você acredita que não terá muita dor de cabeça em realizar o trabalho. Tudo lindo até a hora do “vamos falar de valores!”.

Você constata que o seu trabalho ficará em R$500,00. O cliente não tem a verba disponível, pede que você abaixe o valor, um “descontinho camarada”, ele só pode pagar R$400,00. Você pensa e analisa a quantidade de trabalho, o valor que está cobrando e vê que é justo, já está com um preço legal e tal. Não irá compensar o desconto. Como fazer?

Cara Criaturinha, dizer não é saudável. Pode ser que você perca o cliente por causa de R$100,00. Mas pense, se os R$100,00 vai fazer diferença no bolso dele, porque não faria no seu? Alguns dizem, antes 400 do que nada. Eu digo, negocie.

Talvez vocês consigam chegar em um valor intermediário, que não seja sacrificante para você e que atenda a expectativa dele. Somos seres humanos e dotados do dom da fala! Use-a! Mas se realmente não estiver ao seu alcance reduzir o valor e o cliente realmente não quiser os seus serviços, não se culpe. Ele tem todo o direito de procurar algo dentro da condição financeira dele! Lembre-se, você também é cliente e sabe que o preço também é relevante! Outra, antes não pegar o job, do que fazer o serviço por um preço abaixo da sua expectativa e acabar com má vontade. Além do cliente ficar insatisfeito com o resultado final, você trabalhará horas com preguiça da coisa. Não compensa o desgaste para ambos.

Sugira um parcelamento. Existem sites que são seguros e fazem isso para você! A Mito Utiliza o PagSeguro. Rápido, fácil e indolor. Veja nosso post PagSeguro – Contra o Calote do Pagamento a Prazo e entenda como funciona.

Saiba dizer e ouvir “Não”! Seja Sincero!

Sinceridade é bom e todo mundo gosta! Principalmente seu cliente. Não ofereça produtos e facilidades que você não tem apenas para conquistar o job! Depois você ficará enrolado! Tente explicar seu trabalho com o máximo de clareza e, se não for isso que o seu cliente deseja, agradeça o contato e mantenha uma porta aberta. Se puder indicar alguém, ótimo! Mas cuidado com indicações! Só indique se você tiver certeza que for alguém bom. Indicar o carinha do boteco que disse que faz web, mas que você nunca viu o trabalho, é fria!

Ser designer não é ser um “faz tudo”. Cada um tem sua especialidade, suas facilidades e maiores domínios. Assim como um orçamento não significa um job fechado!

O cliente pode estar realmente interessado no seu trabalho, marcar a reunião, mas o custo é inacessível ou não é exatamente o perfil que ele precisa. Não pregue o coitado na cruz! Ele tem todo direito de não aprovar seu trabalho, assim com você tem todo direito de recusar o job!

Não Seja Ganancioso! O que vai pode voltar!

Não pegue o que não da conta! Acredite, prazo e importante para a imagem de qualquer designer, principalmente se você for freelancer!

Não caia na onda de “é só inventar uma desculpa que está de boa!”. Isso queima seu filme e acaba com a paciência do cliente! Fora que um atraso implica no atraso de toda a grade. Peça prazos com folga, margens de segurança. Antes entregar antecipado do que atrasado, certo? Outra dica é manter sua grade atualizada e ao alcance.

Consulte ela antes de pegar um job e agendar. Não adianta pegar 20 trabalhos que demoram 5 dias cada, e prometer todos em 5 dias. Clientes pedem alterações, imprevistos acontecem, enfim! Seja sensato. Se necessário, divida com os amigos. Um cliente que reconhece sua honestidade, provavelmente voltará em uma hora mais oportuna ou negociará um prazo mais flexível com você!

 

O grande conselho:

Respeite seus limites e respeite os limites do seu cliente! Seja simpático até quando for falar não, afinal, educação é algo que primordial!

=D

Anúncios

PagSeguro – Contra o Calote do Pagamento a Prazo

Olá criaturas mitológicas! Como vocês sabem, trabalhar como freelancer é ter criatividade constante e um jogo de cintura incrível. Esta semana um cliente me perguntou sobre as nossas formas de pagamento e sobre parcelamento. Confesso que na hora não soube explicar direito sobre as vantagens do serviço que utilizamos, que é vinculado ao UOL. Mas agora tenho todas as informações que eu, você e os nossos clientes precisam!

Se rola um pavor só de pensar em parcelar o pagamento daquele trabalho que te custou a noite de sono porque era pra ontem ou se você tem medo de o cliente desaparecer e você receber apenas a entrada do parcelamento em 10 vezes, você também precisa conhecer o PagSeguro!

As vantagens de se usar o PagSeguro:

Para você:

  • Independente da quantidade de parcelas, você recebe o pagamento à vista, em cerca de 14 dias, do próprio PagSeguro, que assume inclusive os riscos do não pagamento, não te deixando na mão.
  • Você não paga taxas mensais, ou anuais, é descontada uma porcentagem no valor de cada pagamento recebido, de acordo com seu tipo de conta e com o volume de vendas.
  • Não precisa ter registro de pessoa jurídica

Para o cliente:

  • Ele só preenche o cadastro uma vez no PagSeguro, e não precisa preencher milhões de cadastros para cada loja virtual em que comprar ou a cada pagamento que efetuar
  • Os dados ficam protegidos e não são enviados ao vendedor
  • Ele pode pedir a devolução do dinheiro, caso comprove o não recebimento do produto ou serviço
  • Proteção contra fraudes
  • Aceita todas as bandeiras de cartões de crédito
  • Parcela em até 18x

Como eu não consegui incorporar a visualização do Issu aqui no WordPress, segue o link para uma apresentação para você convencer o seu cliente a utilizar o PagSeguro e todo mundo ser feliz: http://issuu.com/RodrigoAndrade7/docs/pag_seguro

Caso o seu cliente tenha dificuldades em compreender o que você fala (afinal, o seu forte são as imagens e não as palavras), o vídeo abaixo pode ser a solução!

Se você sabe mais das vantagens de usar o PagSeguro ou deseja falar da sua experiência com o serviço, deixe um comentário! Vale falar das desvantagens também. 😉